Please wait...

We are checking your browser... apiwordpres.com

Please stand by, while we are checking your browser...

Why do I have to complete a CAPTCHA?

Completing the CAPTCHA proves you are a human and gives you temporary access to the web property.

What can I do to prevent this in the future?

table

If you are on a personal connection, like at home, you can run an anti-virus scan on your device to make sure it is not infected with malware.

If you are at an office or shared network, you can ask the network administrator to run a scan across the network looking for misconfigured or infected devices.

Nyusi nomeia novos ministros da Defesa e do Interior

O chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi nomeou Cristóvão Artur Chume e Arsénia Felicidade Félix Massingue para os cargos de ministros da Defesa e do Interior, respectivamente, informou a Presidência da República em comunicado.

Cristóvão Artur Chume vai substituir Jaime Neto, exonerado pelo Presidente moçambicano do cargo de ministro da Defesa na quarta-feira.

Até à data, Chume era comandante do ramo de exército, posto que assumiu em Março deste ano, após alterações na estrutura das Forças Armadas de Defesa promovidas pelo chefe de Estado moçambicano.

Além de comandar a Academia Militar entre 2019 e 2020, o novo ministro da Defesa foi também director nacional de Política de Defesa, função que desempenhou entre 2011 e 2019.

Enquanto Arsénia Felicidade Félix Massingue vai ocupar o cargo de ministra do Interior em substituição de Amade Miquidade, afastado na segunda-feira em despacho presidencial.

Massingue, era comissária-chefe da Migração, tendo estado na lista dos oficiais do Serviço Nacional de Migração que beneficiaram de uma progressão de carreira em Novembro de 2020, passando do escalão 1 para 3.

Além de nomear novos ministros da Defesa e do Interior, Filipe Nyusi indicou Constantino Alberto Bacela para o cargo de ministro na Presidência para Assuntos da Casa Civil, substituindo Adelaide Anchia Amurane, exonerada na segunda-feira.

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

GABINETE DE INFORMAÇÃO

DIRECÇÃO DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

COMUNICADO DE IMPRENSA

GABINFO REALIZA FÓRUM DOS COMUNICADORES

DO GOVERNO

O  Gabinete de Informação (GABINFO) realiza de 28 a 30 de Outubro corrente, no Hotel Massunguine, cidade de Vilankulo, província de Inhambane, o Fórum dos Comunicadores do Governo 2021, sob o lema “Por uma comunicação institucional eficiente”.

O Fórum dos Comunicadores do Governo é um evento anual que junta assessores e adidos de imprensa dos Ministérios, Secretarias de Estado, Governos Provinciais, empresas públicas, delegados do Instituto de Comunicação Social e outros profissionais de comunicação.

O objectivo principal deste encontro é reflectir sobre diversos assuntos que envolvem a assessoria de imprensa, de modo a encontrar respostas aos desafios constantes que os profissionais da área enfrentam.

Pela importância deste evento, solicitamos divulgação e cobertura ao vosso prestigiado órgão de informação.

Para qualquer informação relacionada ao evento, contacte 841060226 (Túnia Macuácua).

Maputo, 27 de Outubro de 2021

Gabinfo prepara regulamento para rádios comunitárias

O Gabinete de Informação (GABINFO) está envolvido em trabalhos preparatórios para a elaboração do regulamento das rádios comunitárias.

O facto foi revelado ontem, em Maputo, pelo director desta instituição governamental, Ezequiel Mavota, durante a apresentação do relatório do estudo sobre o papel das rádios comunitárias no processo de desenvolvimento socioeconómico do país.

“É reconhecendo o nobre papel das rádios comunitárias que o GABINFO tem licenciado rádios comunitárias para vários pontos do país, estando neste momento a mobilizar esforços para elaboração do regulamento das rádios comunitárias”, disse Mavota, citado pela AIM.

O estudo enquadra-se nas acções do Governo, com vista à materialização da estratégia e política de informação visando melhorar os serviços prestados pela comunicação social.

Na ocasião, Mavota contou que o objectivo do estudo é aferir das populações beneficiárias das rádios comunitárias o nível de contribuição das estações emissoras no processo de desenvolvimento local.Joaquim Chissano foi Presidente de Moçambique de 1986 a 2005.

Directora do GABINFO diz que não há evidência de que Amade estava a fazer trabalho jornalístico

A Directora do Gabinete de Informação diz que não há evidências de que Amade Abubacar estava a fazer trabalho jornalístico quando foi detido. Segundo Emília Moiane, no momento da sua detenção, o jornalista não trabalhava para o Instituto de Comunicação Social.

No encontro havido esta semana entre o Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário e editores de diversos órgãos de comunicação, os jornalistas manifestaram a sua indignação em relação à detenção do jornalista Amade Abubacar.

A directora do Gabinete de Informação, Emília Moiane, disse, no encontro, que a instituição está a acompanhar o caso e revelou que, na ocasião da detenção, Abubacar não trabalhava para o Instituto de Comunicação Social e que não sabia se estava num outro órgão de comunicação.

Quem também está a acompanhar o caso desde o princípio é o Misa-Moçambique, que na pessoa do seu Presidente, Fernando Gonçalves, esclarece que não é necessário que um jornalista esteja vinculado a um órgão para realizar trabalho jornalístico.

O jornalista Amade Abubacar está detido há 21 dias.

Translate »